Posts Tagged ‘ prefeitura ’

Avisem a Prefeitura: Jaú está em estado de emergência!

Temperatura, 34.6º. Umidade: 10.9%.

A umidade relativa do ar bateu recorde esta tarde, em Jaú. Às 14h50, a Estação Hidrometeorológica da Fatec registrou 10,9%. Mais baixa do que a umidade relativa do Saara.

Se dias atrás estávamos em estado de alerta (com umidade variando de 20 a 12%), hoje entramos em estado de emergência, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Será que o prefeito e seus secretários sabem disso? Tomaram alguma providência? Alertaram e orientaram a população sobre o que deve ser feito? Suspenderam aulas de educação física na rede pública? Duvido muito.

E a temperatura máxima não quebrou recorde por pouco. O termômetro marcou 34.5º às 14h20. Só não foi mais alta do que a registrada no dia 30 de agosto, o dia mais quente do ano até agora, 34.6º.

A boa notícia é que o tempo seco está com as horas contadas para acabar. Os institutos de meteorologia estão dizendo que chove amanhã por aqui. Não muito (cerca de cinco milímetros), mas o suficiente para melhorar o ar que a gente está respirando agora.

Cansados de ver tampas de bueiros voando, cariocas debocham da prefeitura e da Light.

Vazamentos de gás têm provocado explosões na rede subterrânea da cidade mais bonita do Brasil. Quem mora no Rio de Janeiro tem mais é que ficar preocupado mesmo, porque a novela vem se arrastando há muito tempo e providência que é bom ninguém tomou por enquanto. Copacabana, Leme, Ipanema, Leblon e, mais recentemente, a Rua do Carioca, no coração da cidade, já foram palco de tampas de bueiros voadoras.

Várias pessoas ficaram feridas, inclusive um casal de turistas franceses. Na semana passada o CREA-RJ fez uma vistoria em parte da rede e atestou que nada menos do que sete bueiros correm 100% de risco de irem pelos ares.

Enquanto a prefeitura ameaça punir a Light e passa longas horas em reuniões para tentar solucionar o problema, publicitários e artistas plásticos resolveram agir, no mais autêntico estilo carioca. Partiram para o deboche. E começaram a “decorar” as tampas de bueiros com “ilustrações” bastante criativas, alertando os pedestres para o risco que corriam ao passar perto deles.


O deboche também foi parar na internet. A empresa de games Playerum desenvolveu um joguinho chamado Boom-eiro. O desafio é andar pelas calçadas do Rio desviando dos buracos e fugindo das tampas de bueiro que ameaçam atingir o jogador.

Ou a prefeitura toma logo as providências para acabar com essa história ou a imagem da cidade que pretende sediar os Jogos Olímpicos de 2016 vai ficar ainda mais arranhada.

As "obras de arte" se espalham pela cidade

Boa, João Brandão! As garotas da Pró-Meninas agradecem.

O vice-prefeito João Brandão garantiu ontem que a Pró-Meninas não vai fechar. Foi mais longe. Disse que conhece o trabalho da entidade e vai fazer o possível para isentar a entidade de impostos e, se possível, devolver os valores pagos pela Pró-Meninas à Prefeitura.

“Vamos ver também a possibilidade de, através de mão-de-obra cedida pela Prefeitura, a gente adiantar a conclusão da sede que está sendo construída, para que em agosto, quando vence o contrato de aluguel da atual sede, elas já possam estar nas novas instalações”, disse Brandão. O vice-prefeito apelou para colaboradores e empresários que continuem fazendo doações para que a Pró-Meninas possa concluir o mais breve a sua sede.

A notícia completa você pode ver no site do Jaunews

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.


Vamos ver se vocês entendem.

Alguém denuncia que a Prefeitura não publicou mais de 70 decretos, tirando uma verba daqui, jogando para lá, aditando um contrato aqui (aditar, no caso, quer dizer, dar uma esticadinha no preço combinado, dentro da lei), outro contrato ali… Precisa publicar isso. É obrigatório. Publicou? Apareceram as publicações, nas versões B, C e D dos jornais oficiais.

Mais ou menos como acabar o Jornal Nacional da Globo, começar a novela e, no intervalo, aparecer uma vinheta: “No ar, o Jornal Nacional B “. Dar uma notícia e voltar para o intervalo. E volta para a novela. No outro intervalo, “No ar, o Jornal Nacional C “. Já viram isso? Nem eu. Mas vamos em frente.

Bom, na Câmara três vereadores (Frederico, Kakai e Segura) quiseram investigar a história dos decretos. O Tito Coló disse que entraria na parada e, com sua assinatura, a investigação estaria resolvida, porque para começar a investigação eram precisos quatro votos. Mas o Tito mudou de idéia. E os outros sete… bem, os outros sete fizeram cara de paisagem.

Mas já que o forno estava quente e a massa pronta, foi só espalhar o molho de tomate, jogar a mussarela por cima, rodelas de tomate, algumas azeitonas, pimenta ardida e saiu mais uma pizza da Pizzaria Camuja, que, infelizmente, não tem serviço de entrega porque só trabalha às segundas. Como o dia é muito puxado na casa, resolveu-se que é melhor não assumir compromissos para não deixar a população esperando receber alguma coisa que não vem mesmo.

Na semana seguinte, o “Fantástico” soltou aquela bomba da máfia das multas e radares.

E parte da turma que faz cara de paisagem decidiu, segundo o “Comércio“, que o contrato com a Consladel – aquela empresa generosa, que colabora dentro da lei com as campanhas de candidatos a prefeito,  e tem a sorte de vencer algumas licitações nas cidades onde contribuiu desinteressadamente – precisa ser investigado.

Perguntinhas básicas:

1 – Por que a turma da cara de paisagem não teve interesse em investigar os chamados atos secretos até para provar que nosso prefeito não tem nada a esconder?

2 – Por que,  na semana seguinte, a turma de cara de paisagem está ecarnando o espírito de Robin Hood, e tende a investigar a generosa empresa que foi acusada pela Rede Globo de sumir com multas e, digamos assim, mostrou-se absolutamente parceira de quem colabora com ela?

3 – Hobin Hood tirava dos ricos para dar aos pobres.

4 – A Consladel colabora com campanhas políticas, legalmente, e depois dá sorte, e ou coincidentemente, e vence licitações nas prefeituras comandadas por prefeitos que receberam colaborações legais dela.

Uma coisa tem a ver com a outra? Ou uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa?

Tomara que tenham entendido.

Eu não entendi. Se é que me entendem.

Nem eu, nem o Ministério Público, que está investigando o contrato.

Para mim, essa mudança de comportamento da turma da cara de paisagem é absolutamente FANTÁSTICA !!!