Archive for the ‘ Tá na net ’ Category

Olha a cabeçaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Olha ele aí

A Nasa acabou de divulgar, no boletim número 6, que foi para o ar no seu site às 9h03 (GMT) de hoje: o Upper Atmosphere Research Satellite, conhecido pelo apelido de UARS, vai reentrar na órbita terrestre depois de amanhã, sexta-feira, dia 23.

E o que é que você tem a ver com isso? Depende de onde ele vai cair. Pra começo de conversa, o satélite pesa seis toneladas. Foi lançado em 1991 e teve o fim de sua vida útil decretado em 2005. A partir daí, ficou vagando pelo espaço e começou se aproximar da Terra. Desde então, a Nasa está monitorando a engenhoca.

De uns tempos para cá, quando a reentrada na Terra foi diagnosticada como inevitável, a agência espacial norte-americana começou a emitir boletins, que se tornaram cada vez mais frequentes. Entre amanhã e depois, eles sairão 12, seis e duas horas antes da queda.

Seja lá onde ele cair, ninguém corre o risco de sentir seis toneladas na cabeça. A previsão é a de que o satélite se espatife e pelo menos 26 grandes pedaços (o maior pesando 150 quilos) se espalhem por uma área de 800 quilômetros.

Até agora não foi possível prever onde o satélite vai cair, mas a chance de um pedaço dele cair na cabeça de qualquer ser humano é de uma em 3.200. Se o azarado for especificamente você, a chance sobe para uma em 22 trilhões.

Seja lá como for, não custa dar umas olhadinhas pra cima a partir de depois de amanhã, né? Ou então acompanhar os boletins da Nasa, que você encontra (em inglês) clicando AQUI, para ter certeza de que ele vai cair bem longe da gente.

Anúncios

Ingleses podem ter carros com ruído personalizado

Pagode ou axé?

Sucesso inquestionável no Salão de Automóvel de Frankfurt, Alemanha, os veículos elétricos e híbridos como este aí da foto já estão no centro de uma polêmica que promete dar muito pano pra manga não só na Inglaterra, onde a lebre foi levantada, mas em toda Europa e pode até chegar aqui.

Responsáveis pelo trânsito da Grã-Bretanha estão estudando uma lei que vai obrigar os fabricantes dos carros elétricos a introduzir um sistema que produz algum tipo de ruído quando o veículo estiver em movimento. Alegam que, como eles rodam no mais absoluto silêncio, podem provocar acidentes. Pedestres e ciclistas, dizem esses estudiosos, são os mais vulneráveis porque dificilmente poderão perceber a aproximação de um veículo que não emite ruídos.

Como em toda boa discussão, palpites não faltam. Há quem diga que a introdução do sistema de ruídos vai encarecer o produto final. Outra corrente defende que seria uma boa opção se o fabricante instalar um sistema mais simples e deixar por conta do proprietário o ruído que ele quer produzir. Uma espécie de som personalizado, como os toques de celular.

Enquanto a discussão está rolando na Inglaterra tudo bem. Mas se vencer a corrente do ruído personalizado por lá e a moda chegar por aqui estaremos todos irremediavelmente fritos. Vai ser um festival de pagodes e axés que ninguém nasceu pra merecer. Deus me livre disso.

Você conhece o Simon?

Simon é o gato muito simpático que está fazendo sucesso na net. Criado pelo cartunista Simon Tofield, “Fly Guy” é um dos filmes mais vistos de uma série de cartoons animados que ele postou. Veja só que legal.

Peixe fora d’água

Motoristas que trafegavam em estradas da Flórida, Estados Unidos, perto de Fort Lauderdale, viram no final de semana uma cena no mínimo inusitada, conta a agência internacional de notícias espanhola EFE.

Esta jamanta transportava uma réplica enorme de uma espécie de tubarão pré-histórico que habitou a terra, dizem os cientistas, há milhões de anos, o megalodonte.

Como os norte-americanos não dão pontos sem nó, tudo leva a crer que o passeio do tubarão era uma estratégia de marketing do Museu de Ciência e Descobrimento daquela cidade, que em novembro vai inaugurar um novo espaço para abrigar a exposição “Flórida Pré-Histórica”, onde poderão ser vistas também, além do bichão aí em cima, réplicas outros animais que viveram há milhões de anos na Terra.

Tá barato pra caramba!

Estación Sur: valeu a pena

Se você planeja ir a São Paulo em setembro, procure programar sua viagem até dia 16. Não, não tem nada a ver com previsões astrológicas, exotéricas ou dica de numerologia. Tem a ver com seu paladar e seu bolso. Começou dia 4 e vai até sábado da outra semana a nona edição do São Paulo Restaurant Week. 242 restaurantes, entre eles alguns top de linha, esperam receber 600 mil clientes atraídos por cardápios pré-estabelecidos, no almoço e jantar, e preços só vistos durante 15 dias no ano na maior cidade da América do Sul.

Funciona assim: nos próximos oito dias, os restaurantes que participam da promoção servem duas opções de entrada, pratos principais e sobremesas por R$ 31,90 no almoço e R$ 43,90 no jantar. Bebidas não estão incluídas no preço. Nem o couvert. Você só paga se consumir.

No ano passado fui conhecer uma churrascaria argentina com a família para ver se a promoção valia a pena mesmo. Fiz a reserva aqui de casa, por e-mail, e ao chegar ao Estación Sur, na Joaquim Eugênio de Lima, minha mesa estava lá, arrumadinha, esperando a gente. Entrada, prato principal (assado de tira, suculento, no ponto exato) e sobremesa. Exatamente conforme o prometido.

paellas por R$ 31,90.

O número de restaurantes aumenta cada ano na São Paulo Restaurant Week. Inclusive os estrelados, que no começo torciam o nariz para promoções. Bom para todos, porque com essa quantidade de casas pode-se comer, por um preço baixo (estamos falando de São Paulo) praticamente qualquer prato.

Receitas clássicas como as paellas, variados tipos de pratos preparados com bacalhau, carnes apreciadíssimas como os filés de cordeiro, tudo isso por R$ 31,90. Há inúmeros restaurantes especializados em cozinha dos mais diversos países.

risoto de beterraba

Você também pode aproveitar a oportunidade para experimentar os pratos da moda, claro. Aqueles que você vê a receita em algum lugar e se pergunta: será que vale a pena? Por esse preço até que vale arriscar, né? Vira e mexe aparecem novidades. Dei uma olhada nos cardápios de vários restaurantes e acho que descobri qual é a bola da vez: risoto de beterraba com lascas de parmesão. Não sei se é bom, mas que o prato é muito bonito, isso ninguém há de negar. Qualquer dia crio coragem e preparo esse risoto. Se ficar legal, passo a receita pra vocês.

Para ver a relação dos restaurantes que estão na São Paulo Restaurant Week e o cardápio que eles oferecem, é só clicar AQUI.

Pescador italiano pega bagre de 113 quilos. E solta.

Isso é que é sorte. Roberto Godi, um italiano de 32 anos, conquistou um novo recorde na Europa ao pescar o maior peixe em água doce do continente. Ele fisgou um peixe-gato (conhecido no Brasil como bagre) de 2,5 metros de comprimento e 113,45 quilos, superando por mais de um quilo a antiga marca.

Godi pescou o peixe gigante em um rio em Mantova, norte da Itália. Após pesar e medir o peixe, o pescador decidiu soltá-lo novamente no rio. Muito bem, Godi. É assim que se faz mesmo. Pelo tamanho, especialistas estimam que o bagre

Godi e o bagre. Recorde europeu.

tenha entre 20 e 30 anos de idade. A notícia se espalhou pela Europa e ganhou destaque até na Inglaterra, como vocês podem ver no site do jornal britânico “Daily Mail”, acima na versão digital.

O impacto das redes sociais

Um vídeo muito bem feito pela Discovery sobre o poder das redes sociais.

Curto (não tem dois minutos), dublado e muito esclarecedor.