Seleção arranca empate com o Paraguai no finalzinho

Neymar: a cabeça está em Madrid ou Barcelona?

Foi outra decepção. Embora o adversário seja tecnicamente mais forte do que a esforçada Venezuela, o Brasil conseguiu ser pior, em boa parte do jogo contra o Paraguai, do que na estréia. Começou na frente, permitiu a virada e arrancou um empate no finalzinho do jogo, resultado injusto para um time que, na verdade, merecia perder.

Daí vêm as perguntas inevitáveis: o que está acontecendo com a Seleção? Culpa do técnico ou dos jogadores?

De trás para a frente: a culpa é do técnico Mano Menezes e dos jogadores também. Do técnico por dois motivos: está insistindo em manter jogadores que não estão rendendo, e por não ter definido um padrão para a equipe que comanda. Dos jogadores porque muitos vêm de uma temporada europeia estafante e parecem estar fazendo um favor de disputar a Copa América. Quando não vai na inspiração o negócio é apelar para a transpiração. Alguém viu isso? O Brasil por acaso sufocou o Paraguai em busca do empate? Capaz…

A Seleção começou dominada pelo adversário, conseguiu equilibrar o jogo e saiu vencedora no primeiro tempo com um gol de Jadson, que entrou na vaga de Robinho, depois de um ótimo passe de Paulo Henrique Ganso.

No segundo, voltou apática. Mano trocou Jadson por Elano, oferecendo o ataque ao Paraguai, para usar o contra-ataque como arma decisiva e mortal. Foi ferida com o próprio veneno. Logo aos 10 minutos, bola nas costas de Daniel Alves, cruzamento para a área e Roque Santa Cruz empatou, porque o outro lateral, André Santos, chegou tarde na cobertura.

11 minutos depois, Daniel Alves estava com a bola dominada dentro da área, resolveu jogar bonito, se deu mal e o Paraguai fez o segundo, com Valdez. Daí a gente espera o que? Vamos prá cima deles. Vamos acuar o adversário e atacar até conseguir ao menos o empate, não é? Não. O Brasil ficou tocando a bola no meio-campo e só conseguiu o empate porque Ganso, com um toque, deixou Fred na cara do gol.

Agora temos que aguardar o resultado de Equador e Venezuela para saber do que o Brasil precisa para não pagar o maior mico e voltar da Argentina desclassificado na primeira etapa do torneio. Duvido que isso pode acontecer, mas que corremos o risco não resta a menor dúvida, a considerar o futebol que a Seleção está mostrando.

Vamos às notas? Antes, não custa lembrar que as notas são dadas pelo desempenho de cada um durante as partidas, não pela condição técnica de cada um. Se um craque jogar mal, leva nota baixa. Se um perna de pau for bem, tem nota digna de craque, tá?

Júlio César: sem culpa nos gols, pouco trabalhou. 6.

Daniel Alves: um desastre. Não produziu nada no ataque, falhou no primeiro gol e entregou o segundo para os adversários. Se não perder a vaga o Mano não sabe nada. Nota 1, por entrar em campo.

Lúcio: esforçado, mas foi envolvido pelo ataque paraguaio. 4.

Thiago Silva: discreto. Tentou lançamentos para o Pato, ao menos. 6.

André Santos: o que o atrapalha é sua enorme limitação, que fica clara a cada partida. Nada produziu no ataque e falhou no primeiro lance do jogo e no gol de empate do adversário, por chegar tarde na cobertura. 3.

Lucas Leiva: outra vez muito bem no desarme. Parece que joga sozinho no meio-campo e sempre dá conta do recado. 8.

Ramirez: bem no primeiro tempo. Participou decisivamente do primeiro gol, mostrando garra. Mas caiu muito no segundo tempo. Perdeu um ponto por levar um tombo ridículo, depois de pisar na bola. 6.

Lucas: substituiu Ramirez. Jogou pouco tempo. Sem nota.

Jadson: Fez um gol e uma boa jogada, nos 45 minutos em que esteve em campo. Mas começou a errar passes, se irritou, levou cartão amarelo e poderia ter sido expulso por descontrole emocional. 6.

Elano: entrou no lugar de Jadson no intervalo,  jogou mais recuado e pouco fez, a não ser bater uma falta com perigo. 5.

Paulo Henrique Ganso: ainda não jogou tudo o que pode, mas foi decisivo. Dos seus pés saíram os passes dos dois gols da Seleção. 8.

Neymar: outra atuação apagada.  Sua cabeça deve estar em Barcelona ou Madrid. Mas não acho que tenha perdido um gol no segundo tempo por preciosismo, como ouvi na TV. Perdeu porque concluiu mal. 3.

Pato: movimentou-se bem no primeiro tempo e no segundo foi prejudicado pelo esquema do Mano. 6. (Perdão, na correria não tinha dado nota para ele. Obrigado, Marcus, pela lembrança. Concordo com você: Hernanes seria muito útil a esse time).

Fred: entrou no lugar de Neymar e fez o gol de empate na única bola que sobrou. 6.

Mano Menezes: ainda não conseguiu dar padrão à equipe. Errou em Manter Daniel Alves no time, errou ao tirar Pato da área, deslocando o jogador para a ponta-direita, onde não sabe jogar e demorou  para trocar Ramirez por Lucas. Acertou escalando Jadson no lugar de Robinho, mas  poderia tê-lo mantido no segundo tempo, ao menos por alguns minutos, para tentar decidir o jogo. Hoje foi mal. 3.

Anúncios
  1. Mario,

    E a nota do Pato? Tudo bem que pelo tanto que foi mal nem merece nota, mas bota alguma aí na conta dele… rs.

    Hernanes da Lazio tem vaga fácil nesse meio-campo. Nem Lucas e tampouco Ramires são melhores do que ele.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: